terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Imagine com o Harry

Oie meninas, esse imagine é inspirado na música Style, quem quiser ouvir enquanto lê, clica aqui.. 

  Onze e quarenta e cinco..
  A escuridão da noite sem luar tomava tudo ao seu redor, tornando tudo mais perigoso e ao mesmo tempo trazendo uma adrenalina nova. Aquela sensação de borboletas no estômago tomava conta de mim, minhas mãos suavam frio, minhas pernas estavam um pouco bambas, e eu estava parecendo a típica adolescente apaixonada. Argh.. Não queria me sentir assim, muito menos por ser apenas mais uma aventura sem um futuro certo.
  Não queria confundir as coisas. Estavam boas apenas na diversão, era ótimo passar a noite com ele, mas no dia seguinte, me sentia destruída por ter que esconder tudo e agir normalmente. Era enlouquecedor.. Eu estava começando a pensar nele o tempo todo, a querer ele comigo por mais tempo do que uma mera noite, como se o meu desejo por ele antes de começar a amenizar, estivesse queimando intensamente, e isso era errado, extremamente errado. E o pior, era que apenas eu nutria esse sentimento, essa dependência, pois ele estava muito bem sem mim, vendo-me apenas como uma diversão para as horas vagas, enquanto a idiota aqui, estava começando a gostar de verdade dele..
  Respirei fundo, tentando tirar de alguma forma aqueles pensamentos de minha cabeça e me olhei no espelho uma última vez. Meus cabelos estavam soltos e caiam delicadamente pelos meus ombros, sobrepondo-se a minha blusinha regata que deixava meus ombros à mostra, e ficava em perfeita harmonia com a minha saia curta e colada no corpo, deixando a mostra minhas curvas e para completar, estava com um salto preto e os clássicos lábios vermelhos dos quais ele gosta.
  Meia-noite..
  O carro dele estacionou em frente à minha casa, e como de costume, os faróis estavam apagados. Espiei pela janela e a rua estava completamente deserta, sai e tranquei a porta logo depois, caminhando vagarosamente para o carro.
  Deveria apenas dizer para ele ir embora, pois eu sei exatamente onde isso vai parar e sei que quem irá sofrer por mais uma desilusão amorosa sou eu, mas quando chego perto dele, algo me diz que vai dar tudo certo.. E mais uma vez eu não penso direito e sigo meu coração e meus desejos ao invés de seguir o lado racional, que tem certeza da dor que sentirei depois..
  Entrei no carro e ele apenas me olhou e mordeu o lábio levemente. Seus cabelos compridos estavam penteados para trás como eu gosto, e ele estava perfeito com a simples camiseta branca e os jeans escuros. Logo que fechei a porta ele se inclinou, ficando com o rosto mais perto do meu e fazendo-me encarar seus olhos inigualáveis..
  
  Em seguida, uma de suas mãos se dirigiu para o meu pescoço enquanto a outra me puxava pela cintura unindo nossos corpos como o ambiente deixava, e então nossos lábios se uniram, trazendo uma estranha sensação de que cada parte do meu corpo entraria em combustão.

  xx Meses depois.. xx


  *Flashback On*

  Ele me aninhava em seus braços protetoralmente, e cada centímetro do meu corpo podia sentir o calor que emanava de sua pele.
  O relógio despertou, avisando-nos que mais um dia nascia. E com o nascer do dia, tudo acabava, e nossa noite virava apenas lembranças e mais um de nossos segredos eternos. Estava cansada disso, cansada de tê-lo pela metade mas nunca o possuir de verdade, como se todas as noites que tivéssemos passado juntos, fossem apenas uma mera ilusão.
  Seus braços que antes me envolviam, me soltaram e ele se levantou da cama, começando a pegar suas peças de roupas jogadas pelo quarto e vestindo-as. Me enrolei no lençol e me sentei na cama sonolenta, enquanto via ele se arrumar e mais uma vez sair pela porta me deixando sozinha naquela cama imensa como se eu não significasse nada.. Aquilo doía profundamente, porque deixava claro que eu não era o suficiente, e só quem já se sentiu assim sabe da dor a qual eu falo..
  Ele terminou de se aprontar e me selou, antes de falar:
  - Obrigada pela noite, pequena.. - Ele me encarou com aquele olhar dos sonhos do James Dean, mas nem isso conseguiu fazer com que eu me sentisse melhor, e as lágrimas que eu tanto tentei conter, começaram a escorrer pelo meu rosto, fazendo-o parar com a mão na maçaneta e voltar para me abraçar.
  Era ótimo sentir o olhar dele sobre mim, fazia com que eu me sentisse especial e única, mas era como se eu fosse traída toda vez, porque ele me olhava de tal maneira segundos antes de abrir a porta e sair mais uma vez da minha vida, voltando apenas quando queria. Isso não era certo. Eu não era um brinquedo, tinha sentimentos, queria ser amada, queria ser o tudo de alguém, queria ser sua, só sua.. Por que você é tão cego ao ponto de não notar isso?
  - Por que você chora, pequena? - Ele me perguntou enquanto me envolvia em seus braços..
  - Não é nada.. - Falei de cabeça baixa, evitando qualquer contato visual com ele. - Você não tem que ir? - Mudei de assunto.
  - Pode me contar.. - Ele falou segurando meu queixo e forçando-me a olhá-lo.
  - Não posso.. - Falei enquanto as lágrimas escorriam novamente.
  - Fala, por favor.. - Aqueles olhos verdes faiscaram e respirei fundo medindo minhas palavras.
  - O que você realmente sente por mim, Harry? - Perguntei sabendo que ele não me daria uma resposta, e ele apenas encarou o chão. - Sabe o que eu sinto? Que estou começando a virar dependente de ti, não quero que a noite acabe e que mais um dia se inicie quando estou ao seu lado, quero que continuemos ali para sempre, porque parece o certo, parece que estou onde e com quem deveria estar.. - Parei pois os olhos dele me encararam tão intensamente que perdi o foco e meus pensamentos se embaralharam, então desviei o olhar. - Eu sinto isso por ti, mesmo sabendo que não deveria, mesmo sabendo que você não sente o mesmo. Eu deveria apenas te dizer para ir embora e nunca mais voltar para a minha vida, mas eu sou incapaz disso.. Espero ansiosa para o dia que você vai me pegar em casa na calada da noite, espero ansiosa pelos seus beijos, seu toque e a sensação de nossos corpos se movendo no mais perfeito compasso.
  Ele me olhava, atônito as minhas palavras, mas não me intimidei, ele queria saber não queria? Então eu o contaria.
  - Como pude ser tão tola a ponto de me apaixonar? - Perguntei mais para mim mesma do que para ele. - Sei que muitas são apaixonas por ti, e que era para que eu me sentisse privilegiada por você estar aqui comigo, mas não sinto isso. Não consigo viver de metades, Harry.. Queria que você fosse só meu como eu sou só sua, queria poder estar do seu lado todas as noites, queria poder te acordar de manhã com beijos e ver seu sorriso a cada instante.. é enlouquecedor sentir que você nunca será meu, enquanto eu sou tão sua.. - Respirei fundo. - Está tão fácil me ganhar.. Por que você não enxerga isso?
  Parei de falar e ele me soltou de seus braço e se levantou.
  - Preciso ir.. - Foi a única coisa que ele me falou, antes de começar a caminhar novamente para a porta.
  - Porra, Styles! - Segurei o lençol contra o corpo e corri impedindo-o de abrir a porta. - Depois de tudo o que eu falei você simplesmente vai ir embora? Como se eu fosse um nada? Eu tenho sentimentos, sabia? - Minha voz aumentou dois oitavos. - Poderia ter me apaixonado por qualquer um que seria melhor que amar você, mas não, meu coração quer o que não pode ter, mas nem por isso você pode me tratar como brinquedo. - Gritei e ele continuou calado. - Você não tem o direito de me ignorar agora e um dia decidir voltar e esperar que eu haja como se nada tivesse acontecido. Se você sair por essa porta novamente, eu sinto muito, mas vou tirar você da minha vida.
  
  Ele segurou fortemente e juntou nossos lábios em um beijo intenso e profundo. Nesse segundo tive certeza que aquele seria o último, ele iria partir.. Iria sair da minha vida no instante seguinte, mas eu estava envolvida demais ao beijo para pará-lo e tentar implorar para que ele não fosse embora. Ele tomou a decisão, e no fundo eu já sabia que isso aconteceria mais cedo ou mais tarde.. Ele mordeu levemente meu lábio inferir e paramos o beijo, as lágrimas mais uma vez me invadiram e eu apenas sai da frente da porta e dei as costas para ele. Não aguentaria vê-lo partir, apenas saber daquilo já estava me machucando demais.. Não precisava de sua imagem para me atormentar também.
  - Adeus..

  *Flashback Off*

   Lembro do nosso primeiro beijo.. E lembro do nosso último beijo.. A felicidade é passageira, mas a tristeza pode não ser.
  Meses se passaram desde que ele escolheu ir embora.. Mas esse mesmo pesadelo ainda me atormentava noite após noite.. O dia que eu me senti um verdadeiro nada para ele e tive certeza de que era apenas mais uma e que facilmente ele arrumaria outra para tomar o meu lugar, mas eu ainda sentia sua falta, apesar de tudo. Sentia falta de seus braços protetores, de sua boca contra cada parte do meu corpo, do movimento de nossos corpos, dos nossos beijos..
  Era enlouquecer lembrar de tudo, minha cabeça sabia que o certo era seguir em frente, mas meu coração ainda tinha esperanças de que ele voltaria.. Mas não voltaria. Todos esses meses se passaram e nem mesmo recebi uma simples mensagem dele dizendo que sentia minha falta, eu era uma verdadeira idiota por ainda sentir algo por ele..
  - (S/n), ouviu o que eu falei? - Jenna, minha melhor amiga perguntou e senti que corei na hora.
  - Não.. Me desculpe, Jen. - Falei envergonhada.
  - Perguntei o que queria, para eu poder pedir a atendente. - Ela repetiu calmamente, como se eu fosse uma criancinha.
  - Só um café mesmo, obrigada. - Falei.
  - Okay.. - Ela fez os pedidos a atendente da cafeteria, depois voltou o olhar para mim. - No que está pensando hein?
  - Quer mesmo saber? - Perguntei torcendo para que ela falasse que não.
  - Quero sim. - Ela falou apoiando o queixo nas mãos, como se fosse ouvir uma longa história.
  - Nele.. - Falei e ela apenas continuou me fitando. - No Harry.. - Sussurrei.
  - Mas.. - Ela tentou falar, mas a interrompi.
  - Eu sei que fazem meses desde aquele dia, mas não consigo.. Simplesmente é como se ele ainda estivesse presente na minha vida, entende? - Não esperei ela responder, apenas continuei. - É como se fosse aos lugares esperando encontrar ele, procure seu rosto na multidão e seu toque em outros toques. Como se eu ainda esperasse pela sua mensagem ou por um telefonema, como se procurasse o cheiro de seu corpo em outros corpos e o gosto de seu beijo em outros beijos. Eu tentei seguir em
frente, Jenna. Juro que tentei, mas eu não consigo, não consigo simplesmente deixá-lo ir..
  Ela ficou de cabeça baixa e apenas falou que iria ao banheiro, e mais uma vez fiquei ali. Sozinha. Triste. Insignificante. Fiquei parada encarando a entrada da cafeteria quando a última pessoa que eu esperava encontrar entra pela porta. Sim, Harry Styles entra ali. Ele olha em volta e seus olhos se encontram com os meus, um sorriso começa a se formar nos lábios dele, mas ele vira o rosto rapidamente.
  Parte de mim ansiava por falar com ele mais um vez, a outra parte temia mais uma recaída. Ele olha pra baixo sem expressão por alguns instantes e passa pela minha cabeça que ele iria sair do estabelecimento, porém depois de um tempo ele ergue a cabeça e olha ao redor novamente, e quando nossos olhos se encontram pela segunda vez, ele sustenta o olhar e vem caminhando em minha direção.
  
  Ele estava com uma de suas camisas brancas, jeans escuros, tão escuros que pareciam pretos, all stars e seus cabelos mais uma vez estavam compridos e penteados para trás. Aquela cena era demais para minha compreensão. Dizer que eu não o amava quando eu estava sozinha era fácil, porém ali naquele momento, não estava sendo tão fácil assim.. Eu acreditava firmemente que não o amava mais, mas como não o amar? Como não o amar cada centímetro de seu corpo? Eu não era tão forte assim..
  Ele parou a minha frente e me encarou com os olhos verdes delirantes, ficamos nos encarando por algum tempo, e eu esperei ele falar pois não sabia bem como agir naquela situação, muito menos sabia se conseguiria falar algo.
  - Oi (S/n).. - Ele falou roucamente.
  - Oi, Harry. - Falei sem minha voz vacilar, o que era um grande avanço.
  - Posso me sentar ou você espera alguém? - Ele perguntou.
  - Minha amiga está no banheiro, mas fique a vontade. - Falei e ele se sentou em minha frente.
  - Obrigada.. - Sussurrei um "De nada.." e nos calamos novamente. Ele me olhava e eu encarava a mesa.
  - Quer me falar algo? - Perguntei após algum tempo.
  - Não sei bem o que lhe falar.. - Ele sussurrou e ficamos em silêncio mais algum tempo.
  - Ouvi dizer que você está saindo com outra garota.. - Falei baixinho, e mesmo sabendo que era verdade, desejei que não passasse de um mal entendido.
  - O que você ouviu é verdade.. - Ele falou com uma voz neutra, sem demonstrar emoção alguma. Doeu? Magina.. - Mas, eu preciso admitir que não conseguir parar de pensar em você e eu.. - Ele falou e encarei seus olhos verdes, procurando ter certeza que aquilo era verdade.
  - Eu tenho sentido isso um monte de vezes desde a última vez.. - Falei desviando o olhar, e arrependida por ter confessado aquilo.
  - Me desculpe.. - Ele pediu.
  - Pelo que? - Perguntei confusa.
  - Por ter sido tão insensível aquele dia, desde então sempre penso em você, mas meu orgulho sempre bateu mais forte e eu tive medo do que você poderia fazer comigo se eu voltasse para a sua vida quando você mesma cansou de mim e me pediu para ir embora.. - Ele falou tristemente.
  - Em nenhum momento eu quis que você saísse realmente da minha vida. Só queria que.. Que aquilo mudasse, que você me desse valor, que me visse como parte essencial da sua vida.. Mas você estava me tratando como um brinquedo. - Falei olhando-o. - Você brincava comigo por uma noite, depois me colocava na prateleira, depois quando tivesse vontade de brincar novamente, me pegava de novo.. Não aguentei mais isso.
  - E eu só percebi o quão você era importante no dia que depois que eu sai pela porta, senti que você não iria mais me procurar ou correr atrás de mim, porque apesar desse meu jeito frio, você se importava comigo.. - Ele segurou uma de minhas mãos que estava sobre a mesa. - Me desculpa, (S/n)..
  - Desculpo.. - Falei distraidamente olhando nossas mãos entrelaçadas sobre a mesa.
  - De verdade? - Ele perguntou, e levantei meu olhar, encarando-o novamente nos olhos.
  - Sim, de verdade. - Falei após algum tempo.
  A atendente trouxe os pedidos e Harry me olhou tristemente antes de falar:
  - Obrigada por me perdoar, tirou um grande peso dos meus ombros.. - Ele suspirou e nossas mãos se soltaram. - Melhor eu ir agora..
  - Fica.. - Falei baixinho, torcendo para que ele ouvisse.
  - Juro que queria ficar, mas não sei se sou o cara certo para você.. - Ele falou se levantando.
  - Não quero o cara certo. - Falei, levantando-me e parando de frente para ele. - Eu quero você..
  Os olhares das pessoas da cafeteria se voltaram para nós e tenho quase certeza que dei uma leve corada nesse instante, mas como ligar para elas e suas opiniões se aquele único momento poderia definir uma vida inteira?
   Harry me olhava intensamente, como se aqueles olhos verdes ardessem em chamas. E ele não pronunciou uma única palavra, talvez, naquele momento não precisássemos de palavra alguma.. As mãos dele me seguraram pela cintura trazendo-me para perto de seu corpo, e em um movimento rápido, ele colou nossos lábios. Lembro do nosso primeiro beijo.. E lembro do nosso último beijo.. E ali, naquele momento, eu sentia a adrenalina percorrer meu corpo e as borboletas no estômago como no primeiro beijo, mas também sentia a intensidade e a paixão de nosso último beijo. Como se fosse uma fusão de coisas boas e ruins ao mesmo tempo.. Assim como a vida.
  
  E naquele momento, poderia acontecer qualquer coisa, mas ali era o local que eu deveria estar, e a pessoa com que deveria estar.. Não sentia arrependimento por tê-lo amado e ainda o amar.. Talvez mudaria o fato de ter saído meses da vida dele para que ele pudesse ver o quão importante eu era.. Mas ele estava ali agora, ele estava ali comigo.. E era como se estivesse tudo perfeito novamente.. Como se nunca tivéssemos nos afastado por algum tempo ou brigado.. Era como se nunca saíssemos de moda.. 

Gostaram meninas?
7 COMENTÁRIOS NO OUTRO TUTS TUTS KK
Fiquei muito feliz, serião, mas espero que continue assim, senão não sei se continuo a postar se vocês não mudarem e começarem a dar opiniões nos imagines.
Posto outro se tiver 5 comentários..
#Mary (@letharrygo_)

9 comentários: