sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Let Me Love You - Imagine com o Liam

Meninas, é um imagine com o Liam, me inspirei na música Let Me Love You do Ne-Yo (aperte o play e deixe a música rolando enquanto lê ao imagine) espero que vocês gostem do imagine...

P.O.V. (S/n):
  Sentada no banco da praça dividia meu olhar entre o céu cinzento a rua pouco movimentada, enquanto esperava o Liam, meu melhor amigo, voltar e trazer o sorvete que ele havia comprado para mim.
  E então ele passou... Matt, o garoto mais bonito da escola, e por que não me arriscar e dizer daquela cidade inteira? Meu coração acelerou, como sempre. Minha respiração se desestabilizou, normal. E meus pensamentos voaram...
  Mas eu me senti estranhamente culpada por sentir algo por ele. Ele estava namorando, e a namorada dele era uma grande amiga minha.
  Isso não é certo...
  Apenas estou sofrendo por algo platônico. Por algo que em hipótese alguma será real...Matt nem mesmo desconfia da minha existência, e eu aqui, apaixonada por ele.
  Talvez ele não me note porque eu seja feia, ou esteja acima do peso ideal com meus 60 quilos. Talvez eu não seja interessante o bastante para ele, e pensando bem..Para nenhum outro garoto também.
  Sim..Minha auto-estima é baixíssima.
  E, eu nunca experimentei o que é amor, o que é compartilhar esse sentimento tão intenso com alguém... Nem mesmo sei se o que sinto pelo Matt é mesmo amor ou não...Pois não é nada parecido com o que meus pais chamavam de amor.
  Matt passou de de mãos dadas com a namorada, mas acho que eles estavam apaixonados demais para notarem minha presença...
  Senti um aperto do lado esquerdo do peito. O que era aquilo? E em seguida meus olhos arderam e então a primeira lágrima escorreu e depois dela não consegui mais contar quantas escorreram em seguida, foram muitas.
  
  Não aguentei mais ficar naquele lugar, levantei-me, peguei meu celular e comecei a caminhar na direção contrária do feliz casal. Eu não conseguia ver quase nada por conta das lágrimas que teimavam em escorrer dos meus olhos.
  Foi então que eu trombei com alguém e quase cai pela força do impacto. Alguém não...Trombei com o Liam. Reconheci-o pelo toque confortador e ao mesmo tempo seguro.
  Percebi que ele me encarava demoradamente com aqueles profundos olhos caramelos.
  - (S/n), por que está chorando? - Ele perguntou com a voz cautelosa e ao mesmo tempo firme.
  - Nada.. - Respondi fungando, para tentar controlar o choro.
  - Posso ver a dor atrás de seus olhos, Pequena, e para a minha preocupação ela já tem estado ai, escondida, há um tempo. - Ele falou decididamente e depois acariciou meu rosto com a ponta dos dedos e limpou as lágrimas mais recentes.
  
  Senti meu coração dar uma leve acelerada. O que era aquilo, Meu Deus?
  - Não é da sua conta! - Falei com a voz alterada, e então dei as costas para ele e corri.
  Corri o mais rápido que consegui até chegar em casa. Suspirei cansada e olhei para trás, para me certificar de que ele, nem ninguém, havia me seguido até em casa. E então, entrei...
  Dei de cara com vários objetos quebrados no chão, e mais alguns sendo arremessados a parede, a todo instante, e se quebrando imediatamente.
  Mamãe e papai estavam brigando novamente.
  Corri até o meio da sala, ficando no meio deles e interrompendo a briga por um pequeno instante, até papai me empurrar, tão forte que fui com tudo contra a parede. Mamãe soltou uma exclamação alta ao ver a cena. E então a briga se reiniciou.
  Corri para o banheiro, bati a porta atrás de mim e tranquei-a em seguida. Só então percebi novamente a presença das lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Olhei-me no espelho quebrado da pia...Eu estava completamente acabada.
  Vasculhei o armarinho no canto do banheiro até encontrar a única solução possível para apagar minhas mágoas e decepções. A lâmina.
  Deixei meu corpo escorregar contra a parede fria até estar sentada naquele chão gelado. Analisei a lâmina com nostalgia...Fazia um bom tempo que eu havia me desapegado do hábito da mutilação, bem, desde que Liam virou meu amigo, e me mostrou que eu era forte o bastante.
  Mas naquele momento eu não me sentia assim...Me sentia como sendo absolutamente nada. E como antes, o desejo de mutilar-me veio a minha mente.
  Sempre foi uma maneira de tentar apagar, ou pelo menos diminuir, as dores emocionais...Possuindo dores físicas, reais.
  Segurei a lâmina fortemente e a forcei contra meu pulso esquerdo, até o corte começar a sangrar. E então fiz mais dois cortes consecutivos. O primeiro era pelo meu amor ao Matt, o segundo pelos meus pais e o terceiro, por mim mesma.
  
  Fiquei concentrada no sangue que pingava no chão até ouvir batidas frenéticas na porta...

 xx Alguns minutos antes xx
P.O.V. Liam:
  Não sei porque a Pequena chorava, apenas senti que precisava ir atrás dela, mas a perdi do meu campo de visão no meio do trajeto e como não havia estado na casa dela muitas vezes foi meio difícil localizá-la naquele grande bairro.
  Quando achei a casa, bati inúmeras vezes na porta, mas ninguém me atendeu. Mas alguma coisa dentro de mim tinha certeza de que era lá que ela se encontrava.
  E mesmo sendo contra meus princípios, eu entrei sem ser convidado e encontrei a sala totalmente bagunçada e com objetos quebrados cobrindo o chão de madeira. Lembrei-me imediatamente que a (S/n) contava-me das frequentes brigas entre os pais dela nos primeiros meses de nossa amizade.
  Mas pensava que já estavam escassas, mas pelo visto...
  
  Quando perceberam minha presença os pais dela cessaram a briga, e me olharam...
  - O que faz aqui, garoto? - O pai dela me perguntou autoritariamente.
  - A (S/n) precisa de mim. - Respondi.
  - Mas ela tem a gente... - A mãe dela interferiu.
  - Nesse momento tenho certeza que nenhum dos dois está em condições de ajudá-la. Primeiro resolvam-se entre vocês e formem um lar. Pois tudo o que ela precisa é que vocês deem carinho, amor, compreensão e realmente um lar onde tenha paz... - Eles se calaram. - Onde ela está?
  - No banheiro, acho... - O pai dela me respondeu após um tempo.
  Meu coração disparou, e eu meio que entrei em pânico.
  Ela sempre se mutilava quando as coisas estavam um pouco além da sua compreensão. Comecei a bater feito um louco na porta do banheiro. Ela sabia que era eu, e que não adiantava fugir...
  Ela destrancou a porta depois de alguns minutos e fez um sinal de silêncio para mim, assenti e entrei no banheiro em seguida.
  Uma lâmina estava no chão, juntamente com gotas e mais gotas do sangue dela. Ela se sentou escorada na parede e eu sentei na sua frente, e olhei fixamente para o abismo de seus olhos, que no momento estavam inchados, por ela chorar...
  - Não acredito que você fez isso de novo... - Exclamei baixinho.
  - E-Eu... - Ela não conseguiu terminar a frase. Lágrimas invadiram seus olhos...
  - Olha, não precisa chorar Pequena. - Ela me olhou, secando as lágrimas que teimavam em escorrer de seus olhos. - Só me ouve, okay?
  Ela assentiu com a cabeça.
  - Você não pode se culpar por tudo, Pequena. E você sabe que eu estou aqui e que posso te ajudar a superar tudo isso. Quero ser aquele que a relembrará o que é sorrir... - Segurei o pulso onde ela havia se cortado, e o beijei leve e suavemente. - Eu conheço seus problemas e não tenho medo deles. - Ela se levantou de onde estava e veio aninhar-se em meus braços. - Apenas deixe-me amar você...Até que você aprenda a se amar. E eu posso te mostrar tudo o que o verdadeiro amor é capaz de fazer, se você me permitir, Pequena.
  E então ela me olhou sorrindo, realmente sorrindo...E depois me beijou calmamente, como se fossemos nós que controlássemos o tempo...
  
  E eu tive a certeza de que mesmo quando ela aprendesse a se amar eu ainda a amaria incondicionalmente. 

Fim...

O que acharam anjos?? 
Cometem por favor...Aceito críticas, pedidos, elogios...
Só comentem por favor....
Bônus:
#Mary

8 comentários:

  1. nossa ta mega lindaaa é serio <3 AMEI, e amei mais ainda por que é com Liam kkk bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada eu me multilo isso me ajuda ler imagines assim e imaginar minha vida melhorar!
    Xxleeh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anjo, por favor não se mutila, não se machuque tentando fazer outras dores diminuírem, não vale a pena.. procura outro meio de estravazar, mas por mim, não machuque a si própria..
      #Mary

      Excluir
  3. Me arrepiei lendo. Ótima escrita, ótima história, tudo perfeito. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Me arrepiei lendo. Ótima escrita, ótima história, tudo perfeito. Parabéns!!

    ResponderExcluir